João Pessoa, 20 de Outubro de 2017

19 de Junho de 2017

Lagoa: obra superfaturou mais de R$ 3 mi por serviço incompleto

Lagoa: obra superfaturou mais de R$ 3 mi por serviço incompleto

Conforme o relatório, só na remoção de solo mole, o prejuízo pelo pagamento superior ao que foi efetivamente executado, foi de quase R$ 6 mi.


Com seis volumes e centenas de páginas, os inquéritos que investigam as suspeitas de desvios milionários nas obras da Lagoa, apontam mais irregularidades do que se imaginava. Não é apenas o superfaturamento dos preços, mas também serviços inadequados, materiais contabilizados em duplicidade e constatação de prejuízos devido a adoção de serviços irregulares.

A reportagem do PB Agora esteve na sede do Ministério Público Federal nesta segunda-feira (19) para ficar a par do conteúdo das investigações, que até semana passada seguiam sob sigilo. Em uma das folhas a Procuradoria da República encaminha à Polícia Federal o relatório com o escopo para que o órgão dê andamento às investigações sobre as irregularidades detectadas pela Controladoria Geral da União.

As irregularidades apontadas, conforme o relatório, são todas tipificadas no Código Penal e foram detectadas durante fiscalização do serviço, são elas:

1 – Serviço de carga, manobra e descarga de materiais computado em duplicidade, causando um prejuízo de R$ 33.613.40

2 – Utilização de composição inadequada para o serviço executado, causando um prejuízo de R$ 385.202,57

3 – Pagamento superior ao valor dos serviços efetivamente executados, causando um prejuízo de R$ 92.687, 42 (dique de contenção)

4 – Pagamento superior ao valor dos serviços efetivamente executados, causando um prejuízo de R$ 5.971.568,00, ou seja, quase R$ 6 milhões de reais só na remoção de solo mole.

5 – Superfaturamento de R$ 3.607.795,00 em face de utilização de preço de referencia por parte da prefeitura de João Pessoa de serviço incompatível com o efetivamente executado pela empresa contratada.


VEJA O DOCUMENTO






PB Agora




Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.